5 Causas de Obstrução Nasal

A obstrução nasal, ou sensação de nariz "entupido" é uma queixa comum no dia-a-dia do Otorrino.

Dentre as diversas alterações que podem levar a esse sintoma, listamos as cinco principais causas no nosso meio:


1. Rinite Alérgica

A rinite alérgica é uma doença inflamatória da mucosa da cavidade nasal, consistindo em uma resposta "exagerada" do sistema imunológico ao contato com um agente presente no ambiente (poeira, ácaros, pólen, produtos químicos, entre outros).

Embora seja uma entidade muito comum na prática clínica, é importante a avaliação completa da cavidade nasal por um médico otorrino para diagnóstico de outras possíveis alterações associadas que podem comprometer a resposta ao tratamento. O tratamento inicial é realizado com spray nasal contendo corticóide (budesonida, mometasona, fluticasona, etç), lavagem nasal com soro fisiológico 0,9% e antihistamínicos via oral. Em alguns casos, a cirurgia pode ser aliada na melhora da obstrução nasal, mas a cirurgia nasal nunca é curativa e não deve ser indicada como terapia isolada em pacientes com rinite.

Muito cuidado com os medicamentos vasoconstritores (Sorine®, Sorinan®, Afrin®, Hidrocin®, Aturgyl®, entre outros), pois podem causar uma condição conhecida como Rinite Medicamentosa, a qual dificulta ainda mais o tratamento do problema que gerou a obstrução nasal inicialmente!


2. Hipertrofia de adenóides

A adenóide é uma estrutura de origem linfática que encontra-se na região do cavum, localizada na via respiratória superior, na profundidade da cavidade nasal. Também conhecida popularmente como "carne esponjosa" (sendo muitas vezes ser confundida com a hipertrofia dos cornetos nasais nessa denominação). A ocorrência de obstrução nasal secundária à sua presença é mais comum em crianças, mas também pode acometer os adultos. Para sua correta identificação é necessária avaliação completa com médico otorrino e realização de exames complementares (nasofibrolaringoscopia, exames de imagem). Pode estar associada a acúmulo de secreção em orelha média (otite média com efusão). O tratamento inicial é realizado com spray nasal contendo corticoide (budesonida, mometasona, fluticasona, etç) e solução fisiológica. A cirurgia de adenoidectomia é o tratamento indicado quando há aumento do tecido adenoideano causando obstrução considerável da via respiratória.


3. Desvio de septo

O septo nasal é uma estrutura composta por osso e cartilagem, que faz a divisão entre as cavidades nasais direita e esquerda. O desvio de septo nasal nada mais é que o mau posicionamento dessa estrutura de forma a obstruir uma (ou ambas) cavidades nasais. O desvio de septo pode ser leve, sem causar sintomas, ou obstrutivo, causando sensação de nariz bloqueado e em alguns casos até sinusites de repetição, dores de cabeça, sangramentos nasais.

Os desvio septais podem ser traumáticos (secundários a acidentes, ou "batidas" na região do nariz e da face) ou não traumáticos, podendo estar presentes desde a infância sem outra causa aparente.

Para o tratamento da obstrução nasal associada a desvios de septo é importante a avaliação pelo otorrino de outras doenças concomitantes (rinite alérgica, sinusite crônica). Muitas vezes o tratamento apenas da rinite alérgica já melhora os sintomas nasais, não sendo absolutamente necessária realização de cirurgia. Por isso é importante a avaliação por um especialista e a atenção dada caso a caso.

Muitas vezes uma cirurgia de desvio de septo pode ser associada a cirurgias estéticas do nariz (rinoplastia ou rinosseptoplastia), portanto sempre que uma cirurgia no nariz for almejada, consulte com um otorrino!


4. Sinusite

Embora não seja uma doença tão comum, alguns subtipos de rinossinusite podem cursar com obstrução nasal, principalmente as rinossinusites crônicas com polipose nasal. os pólipos nasais são alterações inflamatórias da mucosa nasal que ocupam espaço dentro da cavidade nasal, gerando a obstrução nasal, além de outros sintomas característicos, tais como secreção nasal (rinorréia), sensação de pressão na face (com ou sem cefaléia - "dor de cabeça"), sangramentos nasais (epistaxe), entre outros. O tratamento da sinusite crônica deve ser sempre indicado por um otorrino após avaliação completa das cavidades nasais e seios paranasais, sendo sempre necessários exames complementares (avaliação endoscópica das cavidades nasais e exames de imagem). O tratamento consiste em medidas tópicas (spray nasal, lavagens de alto volume com solução fisiológica) e tratamentos sistêmicos. Muitas vezes é indicada cirurgia para melhor controle da doença.



5. Insuficiência de válvulas nasais

A estrutura externa do nariz é composta em parte por osso, cartilagem, pele e tecidos moles. Muitas vezes a fraqueza dessa estrutura pode levar ao estreitamento da passagem área pela cavidade nasal no momento da inspiração, seja por alterações pós operatórias, seja por processos secundários ao envelhecimento, traumas ou por alterações individuais do próprio paciente.

A avaliação individualizada pelo otorrinolaringologista é muito importante nesses casos, sendo indicados normalmente exames complementares. Por vezes, pode-se realizar o teste terapêutico com dilatadores nasais externos (por exemplo, Respire Melhor®). Na maioria dos casos, a abordagem cirúrgica é a mais adequada, sendo necessárias técnicas avançadas para a reconstrução das estruturas prejudicadas (rinoplastia/rinosseptoplastia com uso de cartilagem auricular ou costal).


Sempre que houver alteração na função do nariz, procure seu médico Otorrino de confiança!


#saúde #otorrino #nariz #respiração #rinite #sinusite #rino #rinoplastia #septoplastia #desviodesepto #ronco #apneia #gotanasal #sorine #sorinan

27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo